1 SAMUEL 1.1-20:

“Houve um homem de Ramataim-Zofim, da região montanhosa de Efraim, cujo nome era Elcana, filho de Jeroão, filho de Eliú, filho de Toú, filho de Zufe, efraimita. 2 Tinha ele duas mulheres: uma se chamava Ana, e a outra, Penina; Penina tinha filhos; Ana, porém, não os tinha. 3 Este homem subia da sua cidade de ano em ano a adorar e a sacrificar ao SENHOR dos Exércitos, em Siló. Estavam ali os dois filhos de Eli, Hofni e Finéias, como sacerdotes do SENHOR. 4 No dia em que Elcana oferecia o seu sacrifício, dava ele porções deste a Penina, sua mulher, e a todos os seus filhos e filhas. 5 A Ana, porém, dava porção dupla, porque ele a amava, ainda mesmo que o SENHOR a houvesse deixado estéril.6 (A sua rival a provocava excessivamente para a irritar, porquanto o SENHOR lhe havia cerrado a madre.) 7 E assim o fazia ele de ano em ano; e, todas as vezes que Ana subia à Casa do SENHOR, a outra a irritava; pelo que chorava e não comia. 8 Então, Elcana, seu marido, lhe disse: Ana, por que choras? E por que não comes? E por que estás de coração triste? Não te sou eu melhor do que dez filhos? 9 Após terem comido e bebido em Siló, estando Eli, o sacerdote, assentado numa cadeira, junto a um pilar do templo do SENHOR, 10 levantou-se Ana, e, com amargura de alma, orou ao SENHOR, e chorou abundantemente. 11 E fez um voto, dizendo: SENHOR dos Exércitos, se benignamente atentares para a aflição da tua serva, e de mim te lembrares, e da tua serva te não esqueceres, e lhe deres um filho varão, ao SENHOR o darei por todos os dias da sua vida, e sobre a sua cabeça não passará navalha. 12 Demorando-se ela no orar perante o SENHOR, passou Eli a observar-lhe o movimento dos lábios, 13 porquanto Ana só no coração falava; seus lábios se moviam, porém não se lhe ouvia voz nenhuma; por isso, Eli a teve por embriagada 14 e lhe disse: Até quando estarás tu embriagada? Aparta de ti esse vinho! 15 Porém Ana respondeu: Não, senhor meu! Eu sou mulher atribulada de espírito; não bebi nem vinho nem bebida forte; porém venho derramando a minha alma perante o SENHOR. 16 Não tenhas, pois, a tua serva por filha de Belial; porque pelo excesso da minha ansiedade e da minha aflição é que tenho falado até agora. 17 Então, lhe respondeu Eli: Vai-te em paz, e o Deus de Israel te conceda a petição que lhe fizeste. 18 E disse ela: Ache a tua serva mercê diante de ti. Assim, a mulher se foi seu caminho e comeu, e o seu semblante já não era triste. 19 Levantaram-se de madrugada, e adoraram perante o SENHOR, e voltaram, e chegaram a sua casa, a Ramá. Elcana coabitou com Ana, sua mulher, e, lembrando-se dela o SENHOR, 20 ela concebeu e, passado o devido tempo, teve um filho, a que chamou Samuel, pois dizia: Do SENHOR o pedi” (1º Sm 1.1-20).

I. QUEM ERA ELCANA
1 - HOUVE um homem de Ramataim-Zofim, da montanha de Efraim, cujo nome era Elcana, filho de Jeroão, filho de Eliú, filho de Toú, filho de Zufe, efrateu. Leia mais em: Elcana – Possessão de Deus- Pai De Samuel (1º Samuel 1. 1 a 23; Ele viveu no tempo de Eli

II. QUEM ERA ANA
Ana – Graça, compaixão
Ana era casada com Elcana, porém era estéril. Segundo a lei judaica quando a mulher era estéril o homem poderia casar-se com outra, ou seja, ter duas mulheres.
Para uma judia era uma humilhação a mulher ser estéril, era uma vergonha.
1. Ana era conhecedora da profecia bíblica que Jeová levantaria um Messias da nação de Israel. Por isso ela era triste porque não poderia ser a mãe do Messias.
2. Segundo lugar a nação estava vivendo num caos espiritual no capitulo diz: que a Palavra era “RARA” – os filhos do sacerdote Eli viviam em pecado. “O jovem Samuel servia ao SENHOR, perante Eli. Naqueles dias, a palavra do SENHOR era mui rara; as visões não eram freqüentes” (3.1).

III. ESTE HOMEM SUBIA DA SUA CIDADE ANUALMENTE PARA ADORAR EM SILÓ
“Este homem subia da sua cidade de ano em ano a adorar e a sacrificar ao SENHOR dos Exércitos, em Siló. Estavam ali os dois filhos de Eli, Hofni e Finéias, como sacerdotes do SENHOR” (v.3)

IV. ELCANA HONRAVA ANA - PORÇÃO DUPLA
“No dia em que Elcana oferecia o seu sacrifício, dava ele porções deste a Penina, sua mulher, e a todos os seus filhos e filhas. 5 A Ana, porém, dava porção dupla, porque ele a amava, ainda mesmo que o SENHOR a houvesse deixado estéril” (vvs. 4-5).

V. SEU RIVAL ANA (V. 6).
“A sua rival a provocava excessivamente para a irritar, porquanto o SENHOR lhe havia cerrado a madre” (v.6).
1. Penina a segunda mulher de Elacana irritava porque ela era estéril.
2. Penina era uma pedra no sapato de Ana.
A mulher estéril era menosprezada por sua companheira; assim

VI. ANA CHORAVA POR CAUSA DE SEU PROBLEMA
“E assim o fazia ele de ano em ano; e, todas as vezes que Ana subia à Casa do SENHOR, a outra a irritava; pelo que chorava e não comia. 8. Então, Elcana, seu marido, lhe disse: Ana, por que choras? E por que não comes? E por que estás de coração triste? Não te sou eu melhor do que dez filhos?” (v.7- 8).

VII. ELA NÃO SE CONFORMOU COM SEU PROBLEMA - Ela
tomou uma atitude.
1. Ana chorava – um choro de clamor. Ela era uma mulher inconformada. Com seu problema. Ela não aceitava ser estéril. Por está razão Ana chorava.

1. Qual era o problema de Ana? Esterilidade:
Amargura de alma.
“Após terem comido e bebido em Siló, estando Eli, o sacerdote, assentado numa cadeira, junto a um pilar do templo do SENHOR, 10 levantou-se Ana, e, com amargura de alma, orou ao SENHOR, e chorou abundantemente. 11 E fez um voto, dizendo: SENHOR dos Exércitos, se benignamente atentares para a aflição da tua serva, e de mim te lembrares, e da tua serva te não esqueceres, e lhe deres um filho varão, ao SENHOR o darei por todos os dias da sua vida, e sobre a sua cabeça não passará navalha” (vvs. 9-11).

3. Ana não olho para o impossível
1. Levantou-se da comodidade.
2. Foi Buscar socorro na casa do Senhor.
3. Buscou em oração.
4. Fez um voto ao Senhor (v. 11).
5. Ana teve fé em seu Deus.
6. Ana servia um Deus Todo Poderoso.
7. Ana confiou em Deus.

VIII. ELI OBSERVOU A SUA BOCA
“Porquanto Ana só no coração falava; seus lábios se moviam, porém não se lhe ouvia voz nenhuma; por isso, Eli a teve por embriagada 14 e lhe disse: Até quando estarás tu embriagada? Aparta de ti esse vinho!” (V.13).
1. Eli era sacerdote, mas fez um julgamento precipitado.
2. Teve por bêbada.

IX. ANA TINHA UM GRANDE SONHOU
1. Ter um filho
Noé, José eram homens de sonhos grandes.

X. O SACERDOTE O ABENÇOOU
“Então, lhe respondeu Eli: Vai-te em paz, e o Deus de Israel te conceda a petição que lhe fizeste. 18 E disse ela: Ache a tua serva mercê diante de ti. Assim, a mulher se foi seu caminho e comeu, e o seu semblante já não era triste” (VVS. 17-18).
Seu rosto não era mais triste.

XI. ANA ADORA O SENHOR
“Levantaram-se de madrugada, e adoraram perante o SENHOR... (v.19).

XII. QUANDO DEUS PROMETE ELE CUMPRE
“...e voltaram, e chegaram a sua casa, a Ramá. Elcana coabitou com Ana, sua mulher, e, lembrando-se dela o SENHOR, 20 ela concebeu e, passado o devido tempo, teve um filho, a que chamou Samuel, pois dizia: Do SENHOR o pedi” (vvs. 19b-20).

Pr. Elias Ribas
pr.eliasribas2013@gmail.com

Exibições: 103

Comentar

Você precisa ser um membro de SAÚDE DO ESPÍRITO, ALMA E CORPO para adicionar comentários!

Entrar em SAÚDE DO ESPÍRITO, ALMA E CORPO

Comentário de João Mendes em 8 novembro 2013 às 1:54

Muito bela esta porção bíblica. O Deus de Ana é também o nosso Deus, Deus do impossível, Deus de milagres. Confiemos no que Ele pode fazer por nós e recorramos a Ele nas nossas aflições tal como Ana fez e como Deus a premiou, também premiará aos que recorrem a Ele e confiam.

© 2017   Criado por Pastora-Psicanalista MÉRCES.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço